Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Tratamento de esgoto ampliado em São Borja vai beneficiar 40 mil habitantes

Publicação:

Estação de Tratamento de Esgotos de São Borja
Estação de Tratamento de Esgotos de São Borja - Foto: Gustavo Mansur - Palácio Piratini

A ampliação da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de São Borja foi inaugurada na tarde deste sábado (30).Com investimento de cerca de R$ 9,5 milhões, a ETE beneficiará 31,1 mil pessoas da região. Quando todas as obras relacionadas estiverem concluídas, chegará a 42,2 mil habitantes beneficiados. É o maior investimento em obras de saneamento no município, segundo a prefeitura. Os recursos são do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e da Caixa. O investimento total em obras de saneamento em São Borja chega a R$ 31 milhões.

A ordem de início para a execução das obras das redes coletoras, dos ramais prediais e das elevatórias da Bacia Sul do Sistema de Esgotamento Sanitário da cidade também foi assinada neste sábado. O investimento é de R$ 15,2 milhões, com prazo de 30 meses para execução. No total, 8,7 mil habitantes serão beneficiados pelos trabalhos, que totalizam 40,8 quilômetros de rede coletora.

Há, ainda, uma licitação em andamento que prevê a construção da Elevatória de Esgoto Tratado (EET) e Emissário Final da ETE do município. O investimento será de R$ 3,6 milhões, com recursos da Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan).

No evento de inauguração da ETE, o governador Eduardo Leite destacou que o investimento em saneamento básico é um dos mais importantes. "A solução para o saneamento não é só de governos, é de toda a sociedade", ressaltou. Leite garantiu que dará continuidades às obras iniciadas na gestão passada e que abrirá novas frentes, com financiamentos e parcerias com o setor privado.

Reflexo na saúde pública

O diretor-presidente da Corsan, Jorge Melo, explicou que, ao fim desses melhoramentos, o percentual de esgoto tratado da cidade subirá de 21% para 47%. "Ainda vamos ampliar com a instalação das redes coletoras, que dará transtorno temporário à cidade, mas que é questão de saúde pública", observou.

O secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Ruy Irigaray, enfatizou que o desenvolvimento do Estado passa pela infraestrutura. "Fazemos a diferença ao lado do Badesul. Assumi a pasta há três dias e estou surpreso com a qualificação das equipes de nossos bancos", afirmou.

Lembrando que saneamento básico é uma questão de saúde pública, qualidade de vida e ambiente, o secretário do Meio Ambiente e Infraestrutura, Artur Lemos Júnior, garantiu que a meta do governo Leite é melhorar os índices do RS. "O RS é o 18º estado em tratamento de esgoto. Queremos que fique entre os primeiros, mas isso não se faz sozinho. Precisamos de todo o apoio das equipes da Corsan", explicou.

O prefeito de São Borja, Eduardo Bonotto, destacou que este é o maior investimento na área na cidade. "Temos preocupação com a diminuição das filas na saúde. Estudos mostram que cada R$ 1,00 investido em saneamento básico, R$ 4,00 são economizados em saúde", acrescentou.

Badesul investirá na cidade

Também neste sábado (30), ocorreu a assinatura do programa Badesul/Cidades. O financiamento de R$ 5 milhões será aplicado em obras de pavimentação urbana em 13 vias e na aquisição de máquinas e equipamentos rodoviários, com uma contrapartida de R$ 265 mil. No total, 23,5 mil habitantes serão beneficiados.

A presidente do Badesul, Jeanette Lontra, garantiu que o banco quer ser um braço operacional das políticas do governador Eduardo Leite para o desenvolvimento do RS. O Badesul, agência de fomento do Estado, trabalha para apoiar o desenvolvimento de todas as regiões gaúchas.

O Badesul Cidades viabiliza aos municípios investimentos em infraestrutura urbana, rural e turística, segurança pública, construção de pavilhões industriais, ginásios de esportes, centros administrativos, postos de saúde, escolas, creches,  centro de eventos municipal, revitalização de praças, além de máquinas e equipamentos rodoviários. Entre 2015 e 2019, o programa financiou mais de R$ 310,7 milhões para que 213 municípios investissem em projetos sociais e estruturais.

Duas obras ainda serão licitadas no segundo semestre. Uma é etapa 3 dos trabalhos nos bairros do Passo e José Alvarez, que envolve uma ação técnico social da Corsan, no valor de cerca de R$ 500 mil. A outra é a implantação de três Estações de Bombeamento de Esgoto (EBE) para atender os mesmos bairros, no valor de R$ 3 milhões.

Atendimento Online
CORSAN